título

Escolas públicas angolanas com sistema integrado para certificação de documentos

O novo Sistema Integrado e Unificado de Gestão de Escolas Públicas (SIUGEP) angolano, apresentado hoje em Luanda, permitirá emitir 300 certificados e declarações das escolas do 2.º ciclo semanalmente, ultrapassando as dificuldades na certificação académica no país.

Integrar todas as escolas públicas angolanas numa plataforma informática é um dos objectivos deste novo sistema, lançado pelo Governo na escola do 2.º Ciclo Liceu n.º 3.084, município do Cazenga, arredores de Luanda, que se propõe emitir igualmente com "celeridade" cartões escolares ou pautas.

Eduardo Alves, engenheiro informático e gestor do projecto, disse aos jornalistas que o foco da plataforma é "acudir os problemas de emissão de certificados" que se registam, sobretudo no arranque de um ano lectivo.

"Neste momento, temos uma ferramenta capaz de fazer a emissão de certificados em menos de um dia, ou seja, basta ter o número do estudante e o nome do director da escola, e o certificado é emitido, assinado e carimbado pelo director", indicou.

Acrescentou que o SIUGEP, que se perspectiva ser alargado a todas as escolas públicas de Angola, tem um sistema fiável de segurança que permitirá detectar qualquer falsificação ou irregularidade nos documentos académicos.

"Ou seja, se alguém de alguma forma falsificar o certificado, os dados poderão ser validados com o código de barras que consta do certificado", assegurou.

Com esta ferramenta, acrescentou, "dependendo do número de estudantes, pode-se emitir 300 certificados numa semana".

"Tudo depende da dinâmica do director e da paciência que terá para assinar os certificados nesse tempo útil", salientou.

O Director Nacional do Ensino Geral do Ministério da Educação de Angola, Gabriel Boaventura, que presidiu à cerimónia de apresentação da plataforma informática, aplaudiu a iniciativa, referindo que o sistema "vai acelerar o processo de certificação académica".

"Isto vai acelerar o processo de certificação académica, que tem sido um dos grandes problemas que temos estado a enfrentar. Uma vez concluído o ciclo em determinadas escolas, com este aplicativo, esse problema será resolvido", afirmou.

"Esse sistema deve evoluir. No próximo ano deve ser introduzido o módulo da estatística, que vai permitir fornecer a estatística das escolas em tempo recorde. Vamos avaliar os custos para vermos a possibilidade da sua disseminação em todas as escolas", adiantou.

Engenheiros informáticos angolanos começaram a desenvolver o SIUGEP em 2012, com custos avaliados em mais de três milhões de kwanzas (cerca de 8.500 euros).

 

Lusa|12.12.2018