título

Estudantes universitários devem contextualizar os conhecimentos

Os estudantes universitários angolanos foram recomendados hoje, terça-feira, na cidade da Caála, província do Huambo, a ter capacidade de contextualizar os conhecimentos que adquirem, para melhor aplicação.

O repto foi lançado pelo director-geral do Instituto Superior Politécnico da cidade da Caála, Hélder Tchinpindo, na abertura do 1º simpósio internacional sobre empreendedorismo e inovação, a decorrer até ao dia 30.

 

Segundo o académico, a falta de contextualização dos conhecimentos está na base do facto dos estudantes universitários angolanos não conseguirem dar solução aos problemas que as comunidades enfrentam.

 

Todavia, Hélder Tchipindo apelou que sejam mais criativos e empreendam, através dos conhecimentos que possuem, abrindo empresas que fomentem o emprego e ajudem a desenvolver o país.

 

“Os estudantes universitários depois de cumprir com o plano curricular devem ser produtivos e envolvidos nas acções sobre o melhoramento das suas condições de vida e da população em geral, distribuídas em diversas comunidades para o combate substancial da pobreza, miséria e a fome”, sublinhou.

 

Para o director-geral do Instituto Superior Politécnico da cidade da Caála, instituição privada, o carácter inovador e empreendedor deve contribuir na construção de grandes redes de conversões sociais positivas para a dinamização do desenvolvimento comunitário.

 

Entre os presentes no simpósio estão pesquisadores em matérias de empreendedorismo provenientes dos Estados Unidos da América, Brasil e Cuba, que vão abordar assuntos sobre as ciências sociais, medicina e engenharias.

 

SAPO/Angop

28.11.2018