título

Professores angolanos decidem no sábado se avança nova greve

O Sindicato dos Professores Angolanos (Sinprof) decide no sábado se avança um segundo período da greve, entre 24 de abril e 05 de maio, denunciando "retaliações" devido à primeira paralisação, de três dias, este mês.

A informação foi hoje avançada à agência Lusa pelo presidente do Sinprof, Guilherme Silva, que afirmou serem "insuficientes" as soluções apresentadas pelo Ministério da Educação numa reunião na terça-feira, em Luanda.

 

"Estamos a avaliar as medidas que o Governo tomou face à declaração de greve, estamos a analisar isso com os secretariados provinciais do Sinprof, com os quais reuniremos no sábado, no sentido de tomarmos uma posição definitiva", explicou.

 

O Sinprof diz aguardar desde 2013 por respostas do Ministério da Educação e das direções provinciais de Educação ao caderno reivindicativo, nomeadamente sobre o aumento do salário, a promoção de categoria e a redução da carga horária, mas "nem sequer 10% das reclamações foram atendidas".

 

O primeiro período desta greve interpolada no ensino geral aconteceu entre 05 e 07 de Abril e fez-se sentir especialmente em Luanda, com escolas fechadas por toda a província, havendo relatos dos sindicalistas sobre represálias por parte de várias direções escolares, inclusive com afastamento de docentes.

 

"Um pouco por todo país estamos a sofrer retaliações, tendo em conta a greve que tivemos. Inúmeros professores que não estão a lecionar na Lunda Sul, por ameaças de desativação de nomes nas fichas do estado", revelou.

Guilherme Silva considera ainda "insuficientes" as medidas do Governo, ante as reivindicações dos professores, e admitiu mesmo que tudo aponta que a segunda fase da greve deve mesmo avançar.

 

"Com certeza sábado haverá uma decisão, se avançamos ou não para a segunda fase da greve, mas tudo leva a crer que vamos mesmo avançar para mais uma paralisação. Daí que vamos refletir com os representantes de outras províncias em função das medidas tomadas pelo Governo. Depois da reunião teremos um expediente que vamos remeter segunda-feira ao ministério", explicou.

 

O ano letivo de 2017 em Angola arrancou oficialmente a 01 de Fevereiro, com quase 10 milhões de alunos nos vários níveis de ensino geral, decorrendo as aulas até 15 de Dezembro.

 

Lusa/ 21-04-2017