título

Sabias que há pessoas que acreditam que estão mortas?

Publicado dia 12 de Janeiro de 2015 Voltar à página de Curiosidades

Cientificamente conhecido como síndrome de Cotard, nome dado pelo neurologista francês que o descreveu pela primeira em 1880, Jules Cotard, este delírio trata-se de uma condição rara de fundo psicológico onde a pessoa acredita estar morta, sem reagir a estímulos exteriores nem de outras pessoas. Também pode pensar que os seus orgãos internos estejam a apodrecer.

Para combater a doença é necessário um tratamento com uso de antidepressivos com sessões de electroconvulsoterapia.

Electroconvulsoterapia: é o uso da passagem de corrente eléctrica ao cérebro sob condição de anestesia geral, com intuito de provocar alterações na actividade eléctrica do mesmo.

Cientificamente conhecido como síndrome de Cotard, nome dado pelo neurologista francês que o descreveu pela primeira em 1880, Jules Cotard, este delírio trata-se de uma condição rara de fundo psicológico onde a pessoa acredita estar morta, sem reagir a estímulos exteriores nem de outras pessoas. Também pode pensar que os seus orgãos internos estejam a apodrecer.
Para combater a doença é necessário um tratamento com uso de antidepressivos com sessões de electroconvulsoterapia.
Electroconvulsoterapia: é o uso da passagem de corrente eléctrica ao cérebro sob condição de anestesia geral, com intuito de provocar alterações na actividade eléctrica do mesmo.Cientificamente conhecido como síndrome de Cotard, nome dado pelo neurologista francês que o descreveu pela primeira em 1880, Jules Cotard, este delírio trata-se de uma condição rara de fundo psicológico onde a pessoa acredita estar morta, sem reagir a estímulos exteriores nem de outras pessoas. Também pode pensar que os seus orgãos internos estejam a apodrecer.
Para combater a doença é necessário um tratamento com uso de antidepressivos com sessões de electroconvulsoterapia.
Electroconvulsoterapia: é o uso da passagem de corrente eléctrica ao cérebro sob condição de anestesia geral, com intuito de provocar alterações na actividade eléctrica do mesmo.Cientificamente conhecido como síndrome de Cotard, nome dado pelo neurologista francês que o descreveu pela primeira em 1880, Jules Cotard, este delírio trata-se de uma condição rara de fundo psicológico onde a pessoa acredita estar morta, sem reagir a estímulos exteriores nem de outras pessoas. Também pode pensar que os seus orgãos internos estejam a apodrecer.

 

 

Partilhe: Facebook Twitter